Teatro, audiovisual e streaming: uma análise sobre o fazer teatral em tempos de incerteza pandêmica na experiência pós-dramática da peça Esperando Godette

Theater, Audiovisual and Streaming: an Analysis of Theater-Making in Times of Pandemic Uncertainty in the Post-Dramatic Experience of the Play Waiting for Godette

  • Juliana Wexel Universidade do Algarve
Palavras-chave: Audiovisual, Estética, Pandemia, Teatro, Virtual

Resumo

A pandemia evidenciou a necessidade imediata dos artistas de teatro de se adaptarem, em parte, ao circuito do online, a produções cênicas em audiovisual e à transmissão assíncrona. Numa condição forçosa pela contingência global, artistas do mundo inteiro tem criado novos pontos de contato em termos estéticos e funcionais entre a linguagem teatral e a linguagem audiovisual a partir de multiplataformas e recursos digitais. Ao mesmo tempo em que discussões de ordem pública acirram-se no que tange à subsistência do teatro presencial, seja este pós-dramático ou não, das políticas de incentivo à cultura e sobre o futuro do teatro enquanto ofício nas condições globais atuais, artistas e investigadores ocupam-se em problematizar as implicações conceituais e estéticas que envolvem estas (novas) práticas e sobre em que medida é possível fazer “teatro de fato” em ambientes online; ou, ainda, de que maneira é possível manter a condição cênica em registros audiovisuais transmitidos via streaming ao vivo ou em espaços repositórios. Este texto propõe discutir parte destas complexidades em um breve relato sobre a experiência de realização da obra Esperando Godette, contemplada pelo edital da primeira edição do Ciclo de Teatro e Artes Performativas Mimesis da Universidade de Coimbra, em Portugal, realizado em comemoração aos 730 anos de existência da instituição. A peça também integrou o repertório de espetáculos online do Fair Saturday Festival entre os meses de novembro e dezembro de 2020. Pretende-se analisar neste artigo algumas idiossincrasias da montagem em si, o leitmotiv das decisões tomadas ao longo do processo de concepção e adaptação da peça que acabou por tornar-se um espetáculo em registro audiovisual, além de suscitar outras reflexões que correlacionam o fazer teatral, o audiovisual e as tecnologias digitais.

Biografia Autor

Juliana Wexel, Universidade do Algarve

Juliana Wexel é investigadora do CIAC, Centro de Investigação em Artes e Comunicação da Universidade do Algarve. É jornalista e artista multimídia e transita pelas linguagens do audiovisual e das artes performativas em países como Brasil, Portugal e Itália desde 1995. Mestre em Letras, Cultura e Regionalidade, é doutoranda em Média-Arte Digital pela Universidade Aberta de Lisboa e Universidade do Algarve e desenvolve intervenções artísticas e outras criações em média-arte digital através no projeto Juli no Mundi Media Art Project. Desenvolve também o projeto MappaMundi, in giro con gli astri na www.neuradio.it, situada nas instalações do MAMbo, o Museu de Arte Moderna da cidade de Bolonha, na Itália.

Publicado
2021-02-22
Secção
Artigos temáticos